Aumente a vida útil dos pneus e reduza gastos

4 minutos para ler

Os caminhões são responsáveis pelo transporte de mercadorias essenciais para o Brasil, além de prover o sustento de várias famílias. Apesar de serem muito resistentes, eles também precisam de cuidados, principalmente, com os pneus. Manter a manutenção do caminhão em dia garante economia de combustível e de trocas dos pneus, ambos bem caros atualmente. O preço médio do diesel S-500 é de R$ 3,20/L e o de um pneu é de R$ 2.000 em algumas lojas virtuais.

Esses valores, que pesam no bolso do caminhoneiro, podem ser reduzidos com as dicas abaixo para prolongar a vida útil do pneu!

Dirija com responsabilidade

Todo caminhoneiro deveria fazer isso. Porém, é sempre bom relembrar a importância de dirigir com responsabilidade. Evitar altas velocidades e freadas bruscas diminui muito o desgaste dos pneus, além de aumentar a segurança de quem está no caminhão.

Atente-se à capacidade de cargas

Atenção à capacidade de carga dos pneus. Na lateral do pneu há a indicação do peso máximo que a roda suporta. Fique atento à indicação e não ultrapasse esse limite.

Alinhe os pneus

Mantenha o alinhamento dos pneus. As rodas precisam estar em linha paralela para que o caminhão permaneça em linha reta e os pneus não sejam danificados com facilidade.

Calibre os pneus

Calibre os pneus. É recomendável que, pelo menos uma vez por semana, o motorista faça a checagem da calibragem para saber se a pressão no interior do pneu está correta. Com isso, você economiza combustível, pois uma calibragem incorreta faz com que o motor precise exercer mais força sobre as rodas, o que eleva o consumo de diesel.

Atente-se ao sulco

Não circule com pneu “careca”. A profundidade do sulco, desenho no pneu que é responsável por escoar a água e garantir aderência, vai diminuindo à medida que o caminhão trafega. Por isso, é importante realizar a troca das rodas ou a ressolagem assim que elas alcançarem o limite de segurança de 1,6 mm. Abaixo dessa marca, o pneu é considerado careca e o caminhoneiro pode ser multado. Além disso, a segurança do condutor fica comprometido.

Atente-se à ressolagem

Só realize a ressolagem em recapadoras certificadas pelo Inmetro. A recapagem é uma alternativa mais barata em relação à troca dos pneus e garante a mesma eficiência de um pneu novo. Enquanto a troca custa, em média, R$ 2.000, a recapagem custa R$ 400,00 e o pneu poderá rodar cerca de 500 mil quilômetros. O procedimento pode, ainda, ser realizado duas ou três vezes. No entanto, é necessário que ele seja feito em locais autorizados pelo Inmetro para garantir que o processo irá seguir padrões internacionais de qualidade. Devido a esses padrões, não é preciso ter medo da ressolagem, pois ela é um processo seguro e vale muito a pena por prolongar a vida útil do pneu.

Para saber o momento certo de fazer a recapagem, a quantidade de quilômetros rodados não é o único fator que importa. É fundamental verificar o indicador de desgaste da banda de rodagem, localizado na transversal do sulco do pneu. O Contran determina que a medida do sulco do pneu tenha no mínimo 1,6 milímetro. Se não estiver de acordo, poderão acontecer multas.

Faça os rodízios de pneus

Realize o rodízio de pneus. Passar com frequência pelas mesmas estradas faz com que alguns pneus se desgastem mais que outros. Por isso, é importante alterná-los de posição para que haja que o desgaste não seja irregular.

Com essas dicas, o caminhoneiro pode pegar a estrada com segurança, economizando o valor do combustível e dos pneus. Lembre-se de que realizar a manutenção do pneu com frequência é sempre a melhor escolha para o condutor e para o caminhão!

Você também pode gostar

Deixe um comentário